Separar ou adaptar às gerações?

Para começar este assunto, é importante lembrar que “antigamente” as gerações eram separadas a cada 25 anos. Cara, na boa, 25 anos é muito tempo, então 1/4 de século nos dias de hoje é tipo 1 século inteiro de velocidade em mudanças e mercados. Tudo muda muito rápido!XYZ

Então, eu praticamente defendo uma adaptação às novas gerações, caso contrário se imagine “morto”. Em resumo, mudar a mentalidade de trabalho na mesma velocidade das mudanças nas relações familiares, de trabalho, etc., é questão de sobrevivência.

Consoante a isso, especialistas no assunto já tratam mudanças de gerações a cada 10 anos, e eu concordo plenamente com isso. As mudanças atualmente não passam somente no sentido de como as pessoas agem ou produtos que consomem, mas também como se vestem, comunicam, aceitam, criticam, prestam atenção, possuem foco, senso de importância, senso de urgência e por aí vai.

Em termos práticos, viver e sobreviver atualmente no mercado de trabalho exige uma adaptação enorme, mudanças drásticas, aceitações de novos modos, entendimento das pessoas cada vez mais mutáveis. O gerenciamento de conflitos e resolução de problemas hoje é feito em períodos cada vez menores, muito pelo fato dos jovens resolverem mais rapidamente e sempre procurarem a forma mais fácil de ser feita.

Minha mãe usa uma frase desde o século passado que faz muito sentido: “Cuidado com velocidade pois ela faz tropeçar nas próprias pernas”. A citação desta frase é porque acredito que o avanço tecnológico destas três gerações certamente não será o mesmo nas próximas que estão por vir. Com a tecnologia vivendo momentos de crescimento exponencial, não podemos prever o que virá, mas o maior cuidado é a gente mesmo não tropeçar nas próprias pernas.

As gerações X, Y, Z

Existem muitos artigos e textos que falam disso, então não irei me delongar escrevendo sobre. Porém, tente se identificar na tabela abaixo:

As_3_geracoes

A tabela acima precisa ser vista de duas formas:

  • Onde sua idade cronológica se encaixa? 
  • Onde sua cabeça, ações e estilo de vida realmente se encaixam?

Eu prefiro responder a segunda opção e me adaptar na geração Y, quase uma Z (risos)! Brincadeiras à parte, a adaptação é uma das grandes caraterísticas do mundo atual.

s

Como se adaptar

Vou utilizar os conhecimentos que obtive ao longo destes quase 20 anos de experiência em projetos de diferentes complexidades, perfis e pessoas envolvidas, dando ênfase ao desafio atual (ano de 2016 a 2018).

Estou à frente de uma equipe altamente tecnológica e que possui membros de 18 a 36 anos, ou seja, praticamente as 3 gerações. As vezes me pego fazendo perguntas a mim mesmo: “Haaaaá se os problemas fossem somente técnicos”. E sabemos que a gestão de pessoas geralmente é algo mais complexo que qualquer entrega técnica.

Porém, vamos aos pontos do meu entendimento que podem ajudar:

Entender os diferentes estilos de trabalho: A geração X não gosta de ser gerenciada nos mínimos detalhes, enquanto a geração Y preza por instruções específicas para realizar tarefas, senão mais “voa” que “executa”. Vale lembrar que, ainda que os mais antigos não apreciem ser monitorados, gostam de saber do processo, entender como tudo é realizado e fazer parte. A geração Y visa mais a estrutura e o resultado final do processo, mas quer tomar suas próprias decisões e fazer conforme entendem ser melhor para o processo. No caminho gostam de receber feedback. Basicamente os mais velhos desejam saber o “como”, enquanto os jovens querem saber o “porquê”.

Leve em conta os valores: Cada geração protege seus valores e os conflitos em decorrência disto podem ser uma ameaça a eles. A geração X, por exemplo, ainda no pensamento anti-guerra dos anos 70, valoriza, e muito, o espírito de equipe, cooperação e comprometimento, enquanto a geração Y prefere tomar uma decisão unilateral e agir, de forma isolada. Já a geração Z valoriza equipes abertas e honestas, que colaborem juntas – e gosta de ter muitas opções para escolher entre elas. Na minha visão, a geração mais difícil de lhe dar é a geração Y quando falamos de “valores”, pois são muito isolados e difíceis trabalhar e ajudar em equipe.

Compartilhe percepções: Quando funcionários de duas ou mais gerações estão envolvidos em um conflito no ambiente de trabalho, eles podem estabelecer um bom diálogo compartilhando suas opiniões. Os mais velhos podem sentir a falta de formalidade e o jeito, talvez, ofensivo dos Z, enquanto os jovens podem se sentir desrespeitados se os X não valorizam suas percepções e insights. É válido ter grupos distintos criando quadros com pontos de vista que mais valorizam. Funciona como um lembrete visual a todos e mostra, de maneira clara, a diferença entre as gerações, além de ser uma atividade divertida que não julga se são errados ou certos os valores de cada pessoa, apenas respeitando-os.

Valorize o melhor de cada geração: Pelo que tenho visto em minha experiência, queremos resolver problemas com uma solução criativa, vá em direção aos jovens. Estudos mostram que as pessoas imersas na tecnologia digital são 10% melhores na resolução de problemas do que seus parceiros mais velhos. Não acredite que as decisões e soluções possam vir apenas dos mais experientes. Os Y são a geração mais criativa que temos visto nos últimos tempos. Utilize as habilidades de cada geração da melhor forma possível!

Busque pontos em comum: A geração Y tende a valorizar segurança e estabilidade mesmo que precisem mudar constantemente de emprego, já os X são mais resistentes a mudanças, mas ambos atribuem importância a treinamento e desenvolvimento. Tanto Y como Z depositam um grande valor na flexibilidade do ambiente de trabalho, além de prezarem o balanço entre vida pessoal e profissional. Os X e os Y se sentem mais confortáveis com a diversidade e estilos de vida alternativos. Descobrir os pontos em comum e também as diferenças entre as gerações e algo muito importante para ajudar, em equipe, como eles podem utilizar suas forças em conjunto. Traga até eles a consciência sobre o ciclo de gerações para que descubram onde se encaixam. Não é um desafio fácil, mas totalmente possível e construído dia a dia.

Aprenda com os demais: Esta é a mais IMPORTANTE E VALIOSA pra mim. Cada geração possui lições valiosas para ensinar umas às outras. Os X têm a sabedoria, o conhecimento e os “truques” de que os jovens precisam. A geração Y é conhecida por sua lealdade e habilidade de mediação. Já a geração Z está mais antenada ao ambiente de trabalho do futuro, ao marketing e às tendências de mercado.

Descritivo_geraoes

Anúncios

Sobre Fernando Luis Parreiras

Profissional com atuação em gestão de tecnologias e inovações, acumula experiência de mais de 18 anos executando, entregando e gerindo projetos com times de gênios em tecnologias e inovações disruptivas. Mestre em Empreendedorismo e inovação, formado em Desenho Industrial e Administração de empresas, possui especializações em Projetos, Inovação, Empreendedorismo, gamification, gestão executiva e de pessoas. Atuou em grandes empresas e projetos de alta complexidade, é entusiasta e praticante formado faixa preta em esportes de lutas e evangelizador de uma vida saudável.
Esse post foi publicado em Administração, Gestão, Gestão de Projetos, Liderança, Profissional e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.