Ninguém motiva ninguém. Nós é que nos motivamos ou não.

A motivação não é um produto acabado, mas um processo que se configura a cada momento, no fluxo permanente da vida. É uma força, uma energia que nos impulsiona na direção de alguma coisa, é um motivo para a ação.

A motivação nos é absolutamente intrínseca, isto é, está dentro de nós, nasce de nossas necessidades interiores. Ela também é contínua, o que significa dizer que sempre teremos, a nossa frente, algo a motivar-nos.

A diferença entre motivação e estímulo consiste no fato de a motivação estar dentro de nós, e o estímulo, fora.

Por ser a motivação intrínseca, não é coerente dizermos que motivamos os outros a isto ou àquilo. Ninguém motiva ninguém. Nós é que nos motivamos ou não.

Tudo o que os de fora podem fazer é estimular, incentivar, provocar nossa motivação.

Com isso, quando falamos de um ambiente corporativo (não entenda corporativo como grandes empresas simplesmente, cabe este termo a qualquer negócio que tenha o objetivo de gerar ganhos financeiros), a visão da empresa deve ser a de processo, não de hierarquia. Nesse processo, faz-se necessário compartilhar o poder, gerando assim uma maior força de motivação a toda a cadeia.

Ao contrário do que ocorre em operações matemáticas, em que a divisão gera partes menores, quando o poder é dividido, o efeito é multiplicado.

Consequentemente, faz-se necessário:

  • Aprender coletivamente;
  • Focar o desempenho nas equipes;
  • Adquirir, produzir e compartilhar informações tanto operacionais quanto táticas.

Considerando essas premissas, um grande desafio posto às empresas é, sem dúvida, provocar a motivação nas pessoas.

Um grande exemplo que motivações são diferentes para cada pessoa, se exemplificarmos a vida de jogadores de futebol, eles recebem propostas milionárias para jogar em clubes de futebol em países de pouca expressão, tais como China, Arábia Saudita e Qatar. Quando fazemos a referência a estes Países logo lembramos que dinheiro não é problema, então todas as propostas tornam-se milionárias.

Dependendo da motivação pessoal de cada jogador, nem sempre as propostas milionárias garantem que eles topem a mudança de times e morar em outros Países. É comum não entendermos por que determinada pessoa não se sente motivada a fazer algo que nos faria sentir motivados. Sem falar que estamos sempre querendo que todos sejam como nós, a nossa imagem e semelhança.

Um dos principais pontos para se entender os desafios atuais da motivação seja ela pessoal ou principalmente nas organizações, passa pelo entendimento das diferenças individuais, e vou explorar isso em um próximo texto.

Trazendo para a prática, nem sempre altos executivos compreendem por que o pessoal operacional não veste a camisa da empresa ou por que, às vezes, falta tanto ao trabalho, por exemplo.

Ora, os executivos ganham, normalmente, bons salários, têm secretárias e não marcam o cartão de ponto.

Se precisam ir ao médico, à escola dos filhos ou à academia de ginástica, abrem espaços em suas agendas de trabalho sem ter de dar satisfações a quem quer que seja.

O pessoal operacional não participa das decisões que o afetam, não pode faltar ou se atrasar, sob pena de perder parte do salário.

Não estamos discutindo aqui o motivo que leva o pessoal operacional a faltar ao trabalho (doenças do filho, necessidades da família) nem se o executivo precisa ou não relaxar porque toma decisões que põem em jogo a sobrevivência da empresa.

MAS ESTE NÃO É O PONTO!

O que importa é que as situações que motivam os executivos estão ausentes na vida do pessoal operacional e vice-versa.

Logo, a energia, a força que impulsiona os executivos não é a mesma que instiga o pessoal operacional.

Compreender diferenças é exigência que se impõe.

Nesse ponto, Freud nos daria uma bela lição. Ele nos diria que são nossos conteúdos psicológicos (diferentes de pessoa para pessoa) que nos encaminham em determinada direção, embora tais conteúdos possam servir-se de fatores externos.

Alocamos mais tempo nas atividades para as quais estamos motivados. O caráter de interioridade da motivação nos diz que ela é experimentada por cada pessoa, não sendo, portanto, generalizável.

Pessoas que gostam de ler, por mais ocupadas que sejam, sempre arranjam tempo para a leitura.

Entusiastas de ginástica sempre conseguem tempo para malhar.

A questão básica é:

Por que algumas pessoas se sentem altamente motivadas a realizar determinadas tarefas que a outras parecem enfadonhas, desinteressantes, ilógicas, malucas, muito certinhas, completamente sem parâmetros ou desprovidas de glamour?

Isso ocorre porque as pessoas têm:

  • valores diferentes;
  • formação profissional diferente;
  • necessidades diferentes;
  • interesses diferentes;
  • organização familiar diferente;
  • background cultural diferente.

Enfim, cada pessoa tem uma história de vida diferente que condiciona suas motivações.

Anúncios
Publicado em Administração, Gestão, Liderança, Motivação, Profissional | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Quer estudar? Google lança 18 especializações gratuitas com aulas em português

Primer, aplicativo gratuito de capacitação com lições de negócios e marketing digital do Google, pode ser utilizado por todos os brasileiros interessados!

“Redes Sociais”, “Planejamento de Negócios”, “Construção de Marca”, “Vídeo Marketing”, “Marketing Digital”, “Analytics” e “Comunicação com o Cliente” são algumas das 18 especializações disponíveis.

O usuário que concluir quatro lições dentro de um mesmo tema vai receber o título da especialização estudada. As aulas são elaboradas em parceria com especialistas do Google ou com base em estudos de casos de grandes empresas.

Nesta versão, o aplicativo reúne 127 aulas em português, com média de cinco minutos de duração cada. A aprendizagem é feita de forma prática e rápida, além disso, o material também fica disponível off-line. A ferramenta pode ser baixada gratuitamente em aparelhos iOS e Android.

Confira todas as especializações do app:

1. Planejamento de Negócios

2. Vendas

3. Construção de Marca

4. Engajamento

5. Sites

6. Comunicação com Cliente

7. Redes Sociais

8. Gerenciamento de Negócios

9. Marketing Digital 1

10. Marketing de Conteúdo

11. Analytics

12. Insights

13. Empreendedorismo

14. Mobile Marketing

15. Vídeo Marketing

16. Marketing Digital 2

17. Experiência do Usuário

18. Gerenciamento de Agências

Publicado em Inovação | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A inteligência é o fruto gerado pelos dados

Para tornar os dados compreensíveis para todos, a Robbyson adotou um modelo de dashboard inovador. Conheça a árvore que funciona como um mapa de calor

Por: Melissa Lulio 

Entender e tangibilizar a dimensão dos dados gerados mundialmente é um exercício quase impossível. Só no Brasil, o celular está presente em 93,2% dos domicílios, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em todo o globo, segundo a Domo, havia 3,7 bilhões de pessoas conectadas em 2017. Imagine que cada clique, leitura, escolha ou decisão de cada um desses usuários, efetivada em smartphones ou outros gadgets, se transforma em dados. Esse é o mundo em que vivemos hoje.

Contudo, como afirma Fernando Parreiras, executivo de Sistemas da Robbyson, nem todos os dados gerados são capazes de garantir boas inferências. Quantidade, nesse caso, não garante qualidade. Para as empresas, o essencial é coletar, reunir e interpretar os dados corretos, de acordo com o resultado almejado.

Esse contexto provocou, na AeC, a gana de desenvolver um negócio que tem como foco a ideia de usar o dado para aperfeiçoar o desempenho de pessoas e negócios. Foi com esse mindset que nasceu a plataforma Robbyson e é dessa forma que ela se mantém. O tempo, contudo, trouxe avanços para a ferramenta: atualmente, ela mede os mais diversos KPIs, de acordo com a demanda da empresa que a utiliza. Além disso, se tornou um negócio próprio, com pessoas inteiramente dedicadas ao seu aprimoramento.

Um dos grandes diferenciais dessa plataforma, além do manejo de dados, é a forma como eles são visualizados. A Robbyson foi criada como uma ferramenta de gestão e autogestão e, como explica Parreiras, o principal desafio nesse sentido foi justamente tornar as informações compreensíveis inclusive para os leigos.

No momento em que o dashboard foi criado, a ideia era criar um mapa de calor da produtividade da empresa. Porém, os executivos tinham consciência de que nem todos compreendem tal gráfico. “Às vezes o usuário precisa de elementos lúdicos”, afirma o executivo. “A árvore foi uma forma saudável de ilustrar”.

Dessa forma, a empresa não precisou desenvolver uma estrutura hierárquica – como seria em um organograma tradicional, por exemplo. “As pessoas, que dão vida à empresa, são representada pelas folhas e são o que torna a árvore bonita”, diz. “A base é formada pelos acionistas e diretores”.

“Com a Robbyson, o usuário não precisa entender de estatística para interpretar gráficos”, afirma. “O colaborador consegue analisar sua performance de forma prática e existe um padrão, compreensível para todos”, afirma. Com isso, criou-se uma narrativa única, um storytelling por meio do qual o colaborador consegue entender a sua missão, seu estágio atual e o quanto falta para que ele alcance a meta, sem precisar se comparar com os outros. De acordo com o executivo, tal narrativa ajuda também a aplicar a Robbyson em outras empresas, afinal, é de fácil compreensão.

Fonte: https://www.consumidormoderno.com.br/2019/05/28/inteligencia-fruto-dados/

Publicado em Computação cognitiva, Gestão, Inovação, Inteligência Artificial, Transformação Digital | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

GAME: Jogos em 2018 com melhor pontuação Metacritic

O Metacritic, um dos sites mais populares que agrega as pontuações de diferentes websites de análise a conteúdos de entretenimento, revelou quais foram os jogos com melhor pontuação de 2018.

RED DEAD REDEMPTION 2

No topo da lista está Red Dead Redemtpion 2 para a Xbox One. Embora a versão para a PlayStation 4 tenha exactamente a mesma pontuação (97), o Metacritic colocou esta versão no segundo lugar.

God of War, que aparece em terceiro, foi o exclusivo com melhor pontuação de 2018. Na posição seguinte ficou Super Smash Bros. Ultimate para a Nintendo Switch.

Então vamos a lista indicando o console:

  1. Red Dead Redemption 2 (Xbox One) – Rockstar Games – 97 Metascore
  2. Red Dead Redemption 2 (PS4) – Rockstar Games – 97 Metascore
  3. God of War (PS4) Sony – 94 Metascore
  4. Super Smash Bros. Ultimate (Switch) – Nintendo – 92 Metascore
  5. Forza Horizon 4 (Xbox One) Microsoft – 92 Metascore
  6. Divinity: Original Sin II Definitive Edition (PS4) – Larian Studios – 92 Metascore
  7. Bayonetta 2 (Switch) – Nintendo – 92
  8. Dead Cells (Xbox One) – Motion Twin – 91
  9. Shadow of the Colossus (PS4) – Sony – 91
  10. NieR: Automata – Become as Gods Edition (Xbox One) – Square Enix – 90 Metascore
  11. Monster Hunter: World (Xbox One) – Capcom – 90 Metascore
  12. Hollow Knight (Switch) – Team Cherry – 90 Metascore
  13. Into the Breach (PC) -Subset Games – 90 Metascore
  14. Dead Cells (Switch) – Motion Twin/Merge Games – 90 Metascore
  15. Celeste (Xbox One) – Matt Makes Games – 94 Metascore
  16. Undertale (Switch) – tobyfox/Fangamer – 93 Metascore
  17. Divinity: Original Sin II – Definitive Edition (Xbox One) – Larian Studios – 92 Metascore
  18. Celeste (Switch – Matt Makes Games – 92 Metascore
  19. INSIDE (Switch) – PLAYDEAD – 91 Metascore
  20. Sonic Mania Plus (Switch) – Sega – 91 Metascore
  21. Celeste (PS4) – Matt Makes Games – 91 Metascore
  22. Monster Hunter: World (PS4) – Capcom – 90 Metascore
  23. Astro Bot: Rescue Mission (PS4) – JapanStudio/Sony – 90 Metascore
  24. Bayonetta + Bayonetta 2 (Switch) – Nintendo – 90 Metascore
Publicado em Games, Pessoal | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

GAME: Lançamentos 2019 PS4

A PlayStation Europe publicou um novo vídeo promocional em que mostra as próximas atrações para a PlayStation.

O que é curioso neste vídeo promocional é que a maioria dos jogos escolhidos estão confirmados para 2019, e entre estes jogos estão exclusivos altamente aguardados como Death Stranding e The Last of Us: Part II, que não têm data de lançamento confirmada.

Os jogos escolhidos para o vídeo não são apenas first-party. Há vários outros títulos third-party commo Rage 2, Devil May Cry 5, The Division 2, Resident Evil 2, Control, Anthem e Kingdom Hearts 3.

Os próximos jogos da PlayStation

  • Days Gone
  • Ace Combat 7: Skies Unknown
  • Devil May Cry 5
  • Ghost of Tsushima
  • Kingdom Hearts 3
  • Concrete Genie
  • Rage 2
  • The Division 2
  • ERICA
  • Dreams
  • Blood and Truth
  • Metro Exodus
  • Dying Light 2
  • Medievil
  • Control
  • Resident Evil 2
  • Death Stranding
  • Far Cry New Dawn
  • Crash Team Racing Nitro Fueled
  • Anthem
  • Sekiro: Shadows Die Twice
  • The Last of Us: Part II
Publicado em Games, Pessoal | Marcado com , , , , | Deixe um comentário